Home / Saúde / Disfunção / Libido? Volta aqui senhora!
FJJNCN - Libido? Volta aqui senhora!

Libido? Volta aqui senhora!

FJJNCN - Libido? Volta aqui senhora!Semana passada eu falei para vocês que hoje abordaria a famosa Libido, onde muito se fala da baixa ou da falta dela. Na verdade, o que acontece, é que a mulher pode sofrer de uma baixa libido temporária ou estendida.

Deixa eu explicar melhor, a baixa libido temporária pode ter várias explicações, como problemas no trabalho, perda de um ente querido ou até estresse. Se você, mulher, parar para pensar, poderá encontrar a res­posta sozinha. O importante aqui é você avaliar o impacto que as coisas têm na sua vida e dar um tempo para se recuperar de uma possível fase difícil que, claro, acontece com todo mundo.

Não se exija tanto e converse com o seu companheiro sobre o assunto, explique que você está precisando de um tempo para reorganizar suas ideias e que sexo, no momento, não apetece. Mas atenção: é essencial que você coloque os problemas em pauta e mantenha seu companheiro informado sobre a situação e seus avanços, pois, dependendo da pessoa, ela vai ou não ter disponibilidade emo­cional para esperar.

Já a baixa libido estendida é um pouco mais delicada. Se, depois de eliminar as possíveis causas fisiológicas, passar de um ano, é recomendado procurar ajuda psicológica para chegar à raiz do problema.

Muitas vezes, os motivos emocionais ligados à baixa libido estendida têm raízes profundas – conscientes e inconscientes. A violência está na raiz desses problemas, podendo aparecer de forma sutil: ter sido criado por pais agressivos, infiéis ou que simplesmente tinham uma relação compli­cada, o que deixa sequelas que dificultam a capacidade de confiar e estabe­lecer laços duradouros. Pode ser algo mais óbvio, como problemas com pais, namorados ou maridos, que constantemente te humilham e agridem de alguma forma – palavras podem ter o mesmo efeito psicológico que agressões físicas, então não classifique esse sofrimento como algo pequeno.

Existem diversas pesquisas que afirmam a dificuldade da mulher de che­gar ao orgasmo. Em 2000, a American Medical Association reportou que 43% nunca – ou raramente – chegaram ao orgasmo, e acredita-se que essa porcentagem seja ainda maior. O problema não é reconhecer que existe uma dificuldade, e sim identificar de que ordem essa dificuldade é e como ela pode ser vencida.

thinking 200x300 - Libido? Volta aqui senhora!Está óbvio que para a maioria das mulheres é necessário reavaliar e re­definir o sexo para si mesmas. Se a satisfação sexual do parceiro é a prioridade, então já encontramos o primeiro erro. Afinal, a prioridade tem que ser você. Sexo não será bom para nenhum dos dois se você não se colocar em primeiro plano. A partir do momento que você está se divertindo, se sentindo à vontade e legitimamente procurando o prazer, garanto que ele vai estar no céu! A mulher precisa entender que aquilo que deixa o homem mais satisfeito é vê-la com tesão e curtindo a transa.

Também é importantíssimo que você esteja concentrada naquilo que está fa­zendo. Só assim você poderá ter a verdadeira experiência sexual. Os senti­dos são fundamentais no sexo e, se a sua cabeça está em outro lugar, você não poderá sentir, nem ouvir, nem degustar, nem visualizar o que está fa­zendo com a intensidade desejada.

Já sabemos que não é simples para a mulher: ela não está acostumada a se permitir ter prazer, logo, não espera por ele. É fácil encontrar mulheres que esperam uma relação unilateral com relação ao sexo, ou seja, o parceiro introduz o pênis, ele entra e sai da vagina até se satisfazer. Quando acaba, ele vira para o lado e dorme, deixando ela a ver muito mais do que navios.

Essa é uma situação muito frustrante para a mulher, pois se sentir um buraquinho é o pior que pode acontecer. Depois de passar por experiên­cias assim, a mulher se sente inadequada e vê o sexo como algo dispensá­vel, algo que simplesmente não é para ela. É necessário que ela sinta uma frestinha de prazer sexual para começar a pensar que pode haver algo além do que está vivendo. O problema é quando esta frestinha demora anos e muitos parceiros até aparecer. E muitas vezes, quando aparece, a mulher faz descaso, pois é difícil acreditar que a vida pode ser melhor e que ela merece sentir algo prazeroso. Afinal, é mais fácil dispensar essa ideia e continuar vivendo no mundinho que você conhece e se sente confortável.

31/08/2017

Tatiana Presser

Psicóloga & Sexpert

Sobre Tatiana Presser

Tatiana Presser
Psicóloga & Sexpert

Check Also

20141111171121108561u - THE ESTROGÊNIO

THE ESTROGÊNIO

Os ovários produzem grandes quantidades de hormônios femininos: estrogênio e progesterona. O estrogênio é produzido …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: