Home / Sexo & Cultura / A Festa (Por Nina G)
800px Sunset in the Negev Desert near Yeruham Israel - A Festa (Por Nina G)

A Festa (Por Nina G)

Coisas que sei sobre ele: Que é inglês e mora em Tel Aviv. Que fotografa na rua com uma câmera antiga, analógica, revela os filmes em casa e posta suas fotos no instagram. Que tem um All Star verde musgo de cano alto. Que usa cuecas e meias listradas – é distraído e às vezes usa pares de meias que não casam… Que tem os dentes da frente separados. Que tem o sotaque mais sexy quando fala QUALQUER COISA, e isso é o que mais me atrai… Que é calmo mesmo no auge da excitação e me faz ter orgasmos maravilhosos.

Sempre nos encontramos entre quatro paredes. Ele entre as suas, eu entre as minhas. Conheço sua cama, seu rosto, sua mão, seu pau. Ele conhece meu sofá, fragmentos das minhas roupas, várias calcinhas, alguns anéis, minha boca, meu corpo, tudo que há entre as minhas pernas.

Outro dia entrei no seu instagram. Vi fotos recentes de uma festa trance: um nascer do sol no deserto. Pessoas se divertindo em imagens borradas. Oníricas. Psicodélicas.

Senti um aperto quando vi aquelas fotos. Quase uma angústia. Queria estar ali com ele.

Fantasiei com a festa. Contei pra ele. Disse que tomaríamos um ecstasy ou sei lá como se chama agora. Que dançaríamos. Que passearíamos pelo corpo um do outro. Que nos envolveríamos profundamente  nesse movimento e sentiríamos um tesão incontrolável. Teríamos que transar ali mesmo. No meio das pessoas. Da festa. Da doideira. Imagens borradas. Oníricas. E nós – alheios a tudo e a todos –, numa transa psicodélica.

Não há limites para as fantasias.

Ele gostou da história. Principalmente quando eu disse que tinha me feito gozar muito. Ele queria ter visto. Mulheres gozam com histórias. Homens precisam de imagens.

Ontem à noite, na cama, me vi novamente naquela festa. Sentíamos aquele mesmo tesão absurdo. Eu estava deitada numa pedra. O sol nascendo no amplo horizonte do deserto. Pessoas em volta. Pessoas celebrando, na mesma vibe. Pessoas vindo participar da nossa transa. Uma lambendo cada um dos meus peitos. Uma me chupando. Uma me beijando na boca. Homens e mulheres. Uns só olhando. Outros se masturbando. Vários me masturbando.

Ele me beijando. Me chupando. Lambendo meus peitos. Ele passeando entre todos os outros. Ele em todos os lugares, dentro e fora de mim.

Ele sussurrando no meu ouvido: “You turn me on so much”

Adoro quando ele diz isso.

Gozei.

Não há limites para as fantasias.

04/04/17

Nina G

Nina tem 40 e poucos anos e é separada. Atualmente dedica boa parte do seu tempo a se divertir, acumular novas experiências e escrever sobre isso.

Sobre Nina G

Nina G
Nina tem 40 e poucos anos e é separada. Atualmente dedica boa parte do seu tempo a se divertir, acumular novas experiências e escrever sobre isso.

Check Also

swing - Histórias de Swing #4

Histórias de Swing #4

– Amiga, põe sua mão aqui nela. – Ô, aí não! – Opa, desculpe, flor, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: