Home / Sexo & Cultura / Asas (Por Nina G)
Motel - Asas (Por Nina G)

Asas (Por Nina G)

Você me disse que não queria mais procurar abismos para se jogar.

Queria serenidade e uma vida tranquila.

Sem segredos. Sem lado B.

Eu fui o seu segredo. Fui o seu abismo. O abismo em que se lançou sem ponderar. Ocupou todos os meus espaços vazios durante o salto, mas terminou quebrado.

Terminamos ambos…

Então rebati, num áudio:

“Procuro abismos pra me jogar.
Só assim descubro que tenho asas…”

Você não me respondeu. Nem nos falamos depois.

Talvez, naquele momento, estivesse tudo dito:

Vou continuar me lançando.

Você não mais.

Ponto final.

 

Naquela mesma tarde eu tinha um encontro marcado.

Um cara do app que eu não conhecia pessoalmente.

Nos encontramos num pé sujo, referência no bairro dele. De lá para um motel.

Promoção do Peixe Urbano: R$109,00, com sauna e hidromassagem.

Encontramos baratas na banheira.

Mudamos de quarto.

Procuro abismos…

O cara não era especialmente atraente embora não fosse feio. Nem especialmente honesto, embora não me enganasse…

Mas era divertido. Tinha lábia. Parecia carinhoso.

E não me oferecia riscos. Por esse com certeza não me apaixono!

Mas… por que mesmo vim encontrá-lo?

Procuro abismos…

Foi um transa entrecortada. Quando começava a ficar bom ele trocava de posição. Estava cheio de tesão e não queria gozar logo.

Comecei a torcer para que acabasse rápido. Tentava olhá-lo nos olhos. Quem era esse cara que me olhava de volta, cheio de ardor? De quem é esse corpo sobre o meu? O que vim fazer aqui nesse lugar decadente?

Me sinto caindo, caindo…

Ele finalmente gozou.

Corri pro banheiro.

Liguei o chuveiro… e chorei.

Ele me encontrou enrolada na toalha, maquiagem borrada embaixo dos olhos, lágrimas ainda escorrendo.

“Não tô bem…”

“Quer me contar?”

“Quero”

Foi uma longa conversa, cheia de confissões de ambos os lados.

Uma longa conversa divertida. Me relaxou. Nos aproximou.

Entramos na banheira. Bebemos cerveja. Ele acendeu um baseado…

Nos acariciamos ternamente por baixo da espuma. Rimos e fizemos planos de novos encontros que provavelmente nunca vão acontecer.

Fui buscar mais cerveja e na volta nos beijamos. Muito. O tipo de beijo com entrega.

Sentei sobre ele. Transamos na banheira.

Foi tão gostoso…

 

Era a primeira vez que eu me divertia depois de você.

 

Procuro abismos pra me jogar.

Me lanço.

Voo.

A vida continua.

 

18/04/2017

Nina G

Nina tem 40 e poucos anos e é separada. Atualmente dedica boa parte do seu tempo a se divertir, acumular novas experiências e escrever sobre isso.

Sobre Nina G

Nina G
Nina tem 40 e poucos anos e é separada. Atualmente dedica boa parte do seu tempo a se divertir, acumular novas experiências e escrever sobre isso.

Check Also

swing - Histórias de Swing #4

Histórias de Swing #4

– Amiga, põe sua mão aqui nela. – Ô, aí não! – Opa, desculpe, flor, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: