Home / Sexo / Sedução / A decadência do beijo.
decadencia do beijo - A decadência do beijo.

A decadência do beijo.

Quantos de vocês já estão numa relação séria há mais de 2 anos? Sim, porque em se tratando do beijo, 2 anos ou 20 fazem pouca diferença. Se você parar para pensar, a decadência na freqüência do beijo começa antes de acabar o primeiro ano de estabilidade. Se morar junto então… O que era um beijo pelo menos ao se encontrar e/ou se despedir – detalhe, chamo de beijo aquilo que envolve língua, lábios e pelo menos 10 segundos do seu tempo – passa a ser o tal “selinho”, que nada tem haver com o beijo porque ele é um substituto barato para satisfazer uma regra social. Ainda assim, achamos uma forma de “deserotizar” ainda mais essa pratica, passando a prestigiar nossos filhos e pais com o mesmo comprimento. Convenhamos que não há nada sexual no “selinho”, é só uma forma de destacar a importância daquela pessoa diante dos seus “coadjuvantes”. Ainda não satisfeitos com a banalização da “bicota”, os descolados passaram a usá-la como sinal de intimidade, para destacar as amizades mais especiais.
Por essas e outras que o “selinho” está longe de ser aquele ato no qual enxergamos desejo, despertamos vontades, alias, seu efeito é praticamente o oposto. Pra variar, é mais um truque que pregamos em nós mesmos, justificando que este ato “de carinho”, muitas vezes mais automático do que espontâneo, é o suficiente para preencher a cota de afagos do dia.
Quero que parem e pensem no beijo em si – o tal de 10 segundos, não o genérico – com certeza poderão apreciar a diferença. Até porque o beijo é uma das coisas mais eróticas em se tratando de atos sexuais. Um beijo de verdade é capaz de trazer o friozinho de volta à barriga com muito mais intensidade do que uma ótima transa. Quando um olha no olho do outro e dá aquele beijo com vontade, até quem está junto há mais de 50 anos percebe a sensação de “revival”!
Por isso, queridos… venho aqui fazer a seguinte proposta: Vamos dar pelo menos um beijo por dia (verdadeiro, ele tem que durar no mínimo 10 segundos e ser dado com garra e vontade!) Que tal o desafio ? Não pode ser tão difícil, né? Afinal é só um beijo, 10 segundos do seu dia. Não é fácil?
Um Alerta: Não é tão fácil assim! Por que? Porque o beijo é extremamente intimo, e essa intimidade mexe com a gente, nos faz ter sensações que nos fazem pensar no que talvez estejamos perdendo. Enfim, nos tira da nossa zona de conforto, e não tem nada como aquele cantinho cômodo, especialmente ao se tratar do relacionamento a dois.
Pequenos sinais de boicotes: Achar que está com mal hálito e está longe da escova de dente. Solução: comprar um chaveirinho de spray mentolado, à venda em qualquer loja de conveniência. Sempre se “lembrar” quando: estão em publico certamente vão utilizar a desculpa de não gostam de se expor. Solução: afaste-se do grupo ou, se a caretice for tamanha, coloque um lembrete no celular, com direito a toque romântico e tudo, para tocar no horário que estarão à sós. Alias, essa solução pode migrar para qualquer ferramenta high tech a sua disposição, para aqueles que só “lembram” quando estão longe dos lábios do parceiro.
Muito robótico? A-ha ! O maior boicote de todos ! OK, pode parecer mecânico no inicio, mas use o senso de humor, divirta-se. Assim, a cada dia, o que parece forçado passa a mostrar espontaneidade. Com o aumento da naturalidade vem o aumento no desejo. Pare para pensar no beijo, pense no que você sente e o que você deseja quando beija o outro. Preste atenção nos sinais do seu corpo e do seu parceiro. Este conhecimento é fundamental ao se tratar de sexualidade.
A cada beijo, um parceiro começará a perceber no outro certos sinais que desencadeiam o tesão. Isso poderá dar ao casal uma oportunidade de escolha, optando ou não, por uma reforma, manutenção ou qualquer que seja a necessidade do seu relacionamento.

02/02/16

Tatiana Presser

Psicóloga & Sexpert

Sobre Tatiana Presser

Tatiana Presser
Psicóloga & Sexpert

Check Also

sex toys - Tira a calça jeans, põe o fio dental...

Tira a calça jeans, põe o fio dental…

Em 1966, a dupla de terapeutas sexuais  Masters & Jonson, publicaram suas conclusões de uma …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: